quinta-feira, 12 de junho de 2008

Palavras cantadas...


Eu quero a sorte de um amor tranqüilo


Com sabor de fruta mordida


Nós na batida, no embalo da rede


Matando a sede na saliva


Ser teu pão, ser tua comida


Todo amor que houver nessa vida


E algum trocado pra dar garantia


Que ser artista no nosso convívio


Pelo inferno e céu de todo dia


Pra poesia que a gente não vive


Transformar o tédio em melodia


Ser teu pão, ser tua comida


Todo amor que houver nessa vida


E algum veneno antimonotonia


E se eu achar a tua fonte escondida


Te alcanço em cheio, o mel e a ferida


E o corpo inteiro como um furacão


Boca, nuca, mão e a tua mente não


Ser teu pão, ser tua comida


Todo amor que houver nessa vida


E algum remédio pra dar alegria




Feliz dia dos namorados

2 comentários:

Paula disse...

adorei seu blog, cheguei aqui através do cultura e devaneios que eu tb adoro! Muito lindo mesmo, interessante, divertido! A partir de agora, visitante assídua!

O Bibliotecário disse...

Paula,

Duvido que esta singela biblioblogoteca esteja a altura do "Cultura e Devaneios", mas é tão acolhedora quanto. Considere-se mais do que bem vinda. Sua assiduidade será recompensada.
I hope so!

Muito obrigado.