sexta-feira, 1 de agosto de 2008


No fim tu hás de ver que as coisas mais leves

são as únicas que o vento não conseguiu levar:

um estribilho antigo

um carinho no momento preciso

o folhear de um livro de poemas

o cheiro que tinha um dia o próprio vento...


Mário Quintana

3 comentários:

helentry disse...

Lindo mesmo!E verdadeiro!

Eloisa Helena

Ingrid Biann disse...

o vento e o tempo podem ser devastadores ou curadores, depende do que se permite.
bonitas palavras ;)

O Bibliotecário disse...

Elô, e ninguém melhor do que vc, e Quintana, para perceber beleza e verdade!

Olha só, temos uma nova visitante!... Que bom, espero que vc seja uma presença constante, Ingrid. Volte mais vezes.