sexta-feira, 20 de julho de 2007

Da série: Qualquer semelhança não será mera coincidência!



Soneto de Petrarca:
“Questa anima gentil che si disparte,
anzi tempo chiamata a l’altra vita,
se lassuso è quanto esser de’gradita,
terra del ciel la più beata parte.”

Em português ficaria mais ou menos assim:

“Esta alma gentil que agora parte
tão cedo levada à outra vida,
terá no céu grata acolhida
habitando sua mais beata parte.”


Agora um soneto de Camões:
“Alma minha gentil, que te partiste
Tão cedo desta vida descontente,
Repousa lá no Céu eternamente,
E viva eu cá na terra sempre triste.”

É impressão minha ou...?

Trechos tirados dos livros: “Poemas De Amor” – Francesco Petrarca e “Sonetos De Amor” – Luís Vaz De Camões. Até os títulos são parecidos!

2 comentários:

Eloisa disse...

Um dos princípios do classicismo é o princípio de imitação. Imitar , imitar , imitar... É uma grande homenagem Camões imitar Petrarca e imitar a antiguidade greco-romana. Muitas das idéias que parecem originais são imitações de Horácio.Vinícius imita Camões , que imita Petrarca , que imita...(?).Vamos descobrir? Lembre-se Chris, certa vez perguntei se "O elogio da loucura" havia imitado Shakespeare, em certos trechos, depois descobri que muito do que ele escrevera já era imitação, recriação.Gostei muito da lembrança de Petrarca aqui. Mais tarde posso colocar alguns sonetos? Justa homenagem aos poemas de amor, à sua amada! Realmente, qualquer semelhança NÂO será mera coincidência...

O Bibliotecário disse...

Eloisa, vc não precisa de autorização para enriquecer este blog!... Aqui você propõe e dispõe!