sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Da série: Não vou falar, não vou falar... Vou falar!


Na década de 80 rolou um boato (coisa barra-pesada, fuxicão cabeludo, maldade de gente desocupada), segundo o qual o Gore Vidal teria um "loverboy" brasileiro, um rapaz culto, fino e inteligente, com quem manteve um belíssimo caso de amor que entrou para os anais (sem trocadilhos) dos grandes romances homoeróticos!... Até aí tudo bem, não seria o primeiro nem o último, só que o detalhe pitoresco da rumor era o "dito cujo", isto é, "quem" era o tal do loverboy!...
Quem?...
Ah, não vou falar. Não, de jeito nenhum, não adianta implorar, suplicar, rastejar. Quéisso? Meu blog não é salão de beleza, nem mesinha de manicuri, e tampouco sucursal literária da revista Contigo!... Que baixaria, que coisa feia, sei que isso acontece em outros blogs, sei que é uma conseqüência incontornável da pós-modernidade, da in-cultura instantânea, da desinformação em tempo real, da comunicação em bytes. Mas eu, decididamente, enfáticamente, me recuso a dizer que o namorado do Gore Vidal era o Diogo Mainardi!...

Iiiiiiiii!... Ah, mas e daí? Já faz muito tempo, foi na Itália, eles moravam juntos...


Tá bom, parei!... Fica só entre nós.

2 comentários:

Dora disse...

Hahahaha.. Morreu aqui!!!! Ju-ro! Hahahaha...

Eloisa disse...

Parabéns! Despertou mesmo minha curiosidade sobre Gore! Ou melhor sobre sua obra!...Sua vida? Mais ou menos!rsrsr Menino, você nasceu numa biblioteca? Escuta os pedidos dos leitores? rsrsr Quanta informação! Seu blog é um luxo só! Se eu tivesse money hoje , iria já correndo para sua biblioteca ler os livros recomendados! Abraços!