quinta-feira, 31 de maio de 2007


Eu parto com o ar

sacudo minha neve branca ao sol que foge,

desfaço minha carne em redemoinhos de poeira,

entrego-me à terra para crescer nas ervas que amo.

Se queres ver-me novamente,

procura-me sob teus sapatos;

Dificilmente saberás quem sou, ou o que significo.

Mas, se não conseguires me encontrar, não desanimes;

O que não está numa parte está noutra.

Nalgum lugar estarei a tua espera.

Walt Whitman

Um comentário:

Dora disse...

Nossa... Lindo demais!!!