terça-feira, 15 de maio de 2007


Quando a sombra da morte me alcançar

E o feixe dos meus dias for atado

Chamar-vos-ei e levar-me-eis, amigos,

A minha sepultura! E quando já

Me tenha eu transformado em pó na terra,

Modelareis com minhas cinzas um vaso

Que enchereis de vinho. Então talvez

Despertarei de novo para a vida.
Omar Khayyam

Um comentário:

flordelys disse...

Pereito casamento entre texto e imagem! Sou fã do seu blog e do Omar!